Vacinas

Sabe as famosas “viroses” que atingem as crianças, principalmente no verão? Elas podem ser causadas por rotavírus, que é a principal causa de diarreias e vômitos em todo o mundo, principalmente em crianças com menos de 5 anos. E vamos falar a verdade: que pai ou mãe não fica preocupado ao ver o filho passando mal?

A infecção pode ter uma evolução muito desfavorável e levar ao óbito da criança, por isso a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda a vacinação contra o rotavírus, que no Brasil se iniciou pelo SUS em 2006. Nos três anos seguintes, foram evitadas mil e quinhentas mortes por diarreias e 130 mil hospitalizações. 

Antigamente, esse era um problema bem mais comum, devido à falta de saneamento básico e às precárias condições de higiene. Embora as condições de vida tenham melhorado, é difícil acabar totalmente com o rotavírus. 

Por que o rotavírus ataca no verão?

Porque as temperaturas mais altas favorecem a proliferação de microorganismos. A forma de transmissão do vírus é pelas fezes. Uma pequena quantidade de rotavírus é suficiente para infectar o ambiente, o que explica porque a infecção é mais comum em crianças: elas ficam muito tempo juntas, compartilham objetos, tocam umas nas outras, brincam nos mesmos brinquedos. 

O tratamento consiste em evitar a desidratação, por isso é importante oferecer ao pequeno bebidas como água, sucos, chás e soro fisiológico, que pode ser aquele caseiro mesmo, da receita da vovó. 

Além da falta de água no organismo, a desidratação leva à baixa dos níveis de sódio e potássio, importantes minerais que atuam no funcionamento das células, músculos e nervos; regulam batimentos cardíacos e fluxo sanguíneo, dentre outras funções. 

O rotavírus pode contaminar adultos também, mas isso é raro. 

Como prevenir?

A principal forma de evitar as infecções por coronavírus é através da vacinação. A gente já te explica tudo sobre ela, mas antes salve algumas dicas de higiene que ajudam muito:

  • Lave as mãos ANTES e DEPOIS de utilizar o banheiro, trocar fraldas, preparar alimentos, amamentar, manusear objetos sujos e tocar em animais.
  • Lave e desinfete superfícies, utensílios e equipamentos utilizados para cozinhar.
  • A cozinha e os alimentos devem ser protegidos de insetos e animais de estimação. Os alimentos devem ficar em recipientes fechados.
  • Se a água não for tratada, trate antes de beber ou utilizar em alimentos. 
  • Tampa de lixo deve ser sempre fechada. 
  • Mantenha o aleitamento materno quando possível e evite desmamar o bebê muito cedo. 

A vacinação

Existem duas vacinas disponíveis:

  • Vacina oral monovalente (VRH1) – Contém um tipo de rotavírus vivo “enfraquecido”. O esquema é composto em duas doses, para crianças a partir de 6 semanas de vida, sendo que o padrão é aos 2 e 4 meses de vida. Está disponível na rede pública de saúde. 
  • Vacina oral atenuada pentavalente (VRH5) – Composta por cinco tipos de rotavírus vivos enfraquecidos. São três doses, também para pequenos a partir de 6 meses de vida, com intervalo mínimo de quatro semanas. O padrão são doses aos 2, 4 e 6 meses de vida. Disponível em clínicas particulares de vacinação.

Precisamos lembrar algo sobre essas vacinas: o esquema não pode ter início depois dos 3 meses e 15 dias. Se a primeira dose não for dada até essa idade, ele não poderá ser iniciado. Já a idade máxima para a última dose é aos 7 meses e 29 dias. 

Não deixe de proteger seu bebê! Traga já para a Sorocaba Vacinas o seu pequeno e garanta que o rotavírus não passe nem perto dele! 

Tags :

Deixe um comentário